Flordelis não prova que não quebrou decoro e pode perder o mandato

O corregedor da Câmara dos Deputados, deputado Paulo Bengston (PTB-PA), apresentou nesta quinta-feira (1º) seu parecer pela continuidade do processo contra a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) e a análise do pedido de representação contra ela pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar. A parlamentar, que é pastora evangélica, é acusada pelo Ministério Público de mandar matar seu marido, o também pastor Anderson do Carmo, em julho do ano passado. Ela nega a acusação.

Bengston disse que Flordelis não conseguiu provar que não quebrou o decoro parlamentar e, por isso, encaminhou a continuidade do processo, que pode levar à cassação do mandato da parlamentar. “Fizemos as dez perguntas. Ela explicou, mas não trouxe as provas daquilo que falou.”

As declarações foram dadas na porta da casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para quem o corregedor levou seu parecer. Com o documento, cabe agora à Mesa Diretora da Câmara decidir se envia o caso ao Conselho de Ética para abertura de processo contra a deputada. É esse o órgão que poderá recomendar ou não a cassação de Flordelis.

Por ter imunidade parlamentar, Flordelis não pôde ter pedido de prisão contra ela quando da acusação feita pelo Ministério Público. No entanto, a Justiça decretou que ela seja monitorada por tornozeleira eletrônica.

Com informações da Agência Câmara de Notícias

Deixe uma resposta