Vereadores de Santarém visitam usina de oxigênio do Hospital Municipal

Após o decreto estadual, publicado no Diário Oficial do Estado, na última sexta-feira (15, o presidente da Câmara de Santarém, no oeste do Pará, vereador Ronan Liberal Jr. (MDB), demais parlamentares, além do prefeito municipal e outros atores que compõem a linha de frente das decisões no município, ficaram em estado de alerta. E já em resposta, na manhã deste sábado (16), os membros do Poder Legislativo realizaram uma visita ao Hospital Municipal de Santarém para verificar como está a reserva de oxigênio da unidade, haja vista este ser um problema trágico com relação à pandemia do novo coronavírus, em outros lugares Brasil afora, como no estado vizinho do Amazonas, onde tem faltado o gás em unidades de saúde.

A usina de oxigênio do Hospital Municipal de Santarém. Foto: Ascom/Câmara

 “Essa é uma preocupação recorrente, principalmente aqui nossa em Santarém, no estado do Pará, até porque o Amazonas vive um estado de colapso, e é nosso vizinho. O Comitê de Crise deve reunir para deliberar acerca do decreto municipal, e nós estivemos agora pela manhã no HMS para verificar a usina de oxigênio. Os técnicos garantiram que tem segurança com relação ao fornecimento de oxigênio”, explicou o presidente do Poder Legislativo.

Ronan acrescentou que, ao passo que o decreto do Executivo Municipal for baixado, a Câmara deverá seguir as determinações, ressaltando, por outro lado, que a Casa já mantém a prevenção desde o ano passado, quando se iniciou a pandemia. “Aquilo que for definido pelo Comitê de Crise, certamente, esta Casa irá seguir, certamente para dar maior segurança não somente aos servidores, mas a todos que procuram este poder”, enfatiza.

O presidente esteve representando o Poder Legislativo, juntamente com os pares Adriana Almeida (PV), Alexandre Maduro (MDB), Erlon Rocha (MDB), Enf. Murilo Tolentino (PSC), Gerlande Castro (PSB), Carlos Silva (PSC), Enf.ª Alba Leal (MDB) e Pr. Ângelo Tapajós (Republicanos). Tolentino confirmou a suficiência da reserva de oxigênio, mas fez a ressalva acerca da prevenção. “Isso tranquiliza, mas não podemos baixar a guarda, continuar com a prevenção, porque pode haver escassez de leitos”, alerta.

 O socialista cristão comentou ainda sobre a medida da Prefeitura de deixar a UPA 24h com atendimento exclusivo para a Covid-19. “Vamos ter que pedir um pouco de compreensão da população, porque os atendimentos de Covid não vão ser realizados no PSM; somente na UPA, que fica exclusiva para Covid, para evitar a contaminação de pacientes que não apresentam a doença”, salientou o parlamentar, que destacou também o pedido que já fez para a 9ª Regional da Secretaria de Estado de Saúde, em Santarém, para a reinstalação do Hospital de Campanha. Segundo o vereador, a unidade temporária pode ser implantada com menos leitos que da primeira implantação, no ano passado. “Não precisa ser a mesma estrutura; 50 leitos seriam suficientes”, acrescenta.

Fonte: Ascom/Câmara

Deixe uma resposta