Membros de igreja evangélica são presos por aliciar sexualmente adolescentes e jovens com promessa de cura

Uma operação comandada pela Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (Deaca) de Santarém, oeste do Pará, foi deflagrada nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (20), para o cumprimento de dois mandados de prisão preventiva contra membros de uma igreja evangélica que são suspeitos de aliciar sexualmente duas adolescentes e duas jovens, usando o nome da igreja e prometendo cura.

Os mandados, expedidos pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Santarém, que tem como titular o juiz Alexandre Rizzi, foram cumpridos na operação “Rei Deposto”.

Segundo a Polícia Civil, após receber denúncias sobre uma suposta prática de aliciamento contra Paulo Esquerdo e Rosiane Esquerdo, líderes de célula de uma igreja evangélica localizada no bairro Amparo, as investigações foram iniciadas e diante da coleta de provas pelo delegado Madson Castro, ele pediu á Justiça a decretação da prisão preventiva dos investigados.

Ainda de acordo com a polícia, os investigados agiam de forma fraudulenta. Eles alegavam que as vítimas deveriam se relacionar sexualmente com o investigado para obter a cura interior, pois ele recebia o espírito do “Rei antigo”. Os suspeitos negam as acusações feitas pelas vítimas.

A delegada Andreza Alves informou que Paulo Esquerdo e Rosiane Esquerdo vão ser indiciados pelo crime de violação sexual mediante fraude, previsto no art. 215 do Código Penal.

A Polícia também está investigando a informação de que uma das vítimas (que é adolescente) ficou grávida do líder religioso Paulo Esquerdo.

Após passarem por exame de corpo de delito na manhã de hoje, Paulo e Rosiane foram encaminhados ao Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura.

O G1 tenta contato com a denominação religiosa na qual os presos Paulo Esquerdo e Rosiane Esquerdo participavam como líderes.

Com informações do G1 Santarém

Deixe uma resposta