Vereadores demonstram preocupação com o avanço da Covid-19 em Santarém

Vereador defende que todos parlamentares integrem o Comitê de Crise de combate à pandemia em Santarém

Os vereadores JK, Gerlande Castro, Adriana Almeida, Alba Leal e Alexandre Maduro durante a sessão remota desta quarta-feira

Durante a sessão remota desta quarta-feira (27), o vereador JK do Povão (PSDB) sugeriu que todos os 21 vereadores de Santarém façam parte do Comitê de Crise para o combate à Covid-19 no município. Ele destacou a importância das decisões tomadas pelo grupo para a rotina da população santarena.

“Nós fomos eleitos pelo povo para ser seus representantes. Então estamos respaldados e precisamos ser ouvidos antes de serem tomadas as decisões que impactam no dia a dia de toda a população”, enfatizou o parlamentar tucano ao defender que as reuniões do comitê aconteçam no plenário da Câmara.

Ainda no pronunciamento durante o tempo das lideranças, JK do Povão informou que esteve visitando a Unidade Básica de Saúde do bairro Diamantino e ficou satisfeito com o trabalho da equipe de servidores, inclusive o médico cumprindo horário de atendimento. Mas ressaltou a falta de equipamento para funcionamento dos setores de curativo e odontologia, que estão parados há meses. E anunciou que apresentará requerimento para que a secretária municipal de Saúde Marcela Tolentino providencie o aparelho necessário para o funcionamento pleno da UBS.

Por fim, o parlamentar disse estar preocupado com a situação do Hospital Municipal de Santarém por causa das dívidas do Instituto Mais Saúde, responsável para administrar a unidade.

De acordo com JK, o atraso no pagamento de fornecedores vem comprometendo alguns serviços, inclusive a alimentação de pacientes, acompanhantes e servidores. O vereador disse que foi informado pela Secretaria Municipal de Saúde de que os repasses para o Mais Saúde está em dia, mas que algumas despesas imprevistas teriam causado essa situação.

Gerlande Castro manifesta preocupação com o limite de imunização de servidores da Saúde contra a Covid-19

O vereador Gerlande Castro (PSB) manifestou preocupação, durante a sessão desta quarta-feira (27), com a limitação de vacinação de servidores da saúde em Santarém. Gerlande destacou a necessidade de que, não apenas os trabalhadores da URES sejam vacinados, mas todos os servidores da Sespa em Santarém. “São vários setores que precisam de proteção, inclusive agentes de endemias da antiga Sucam, que precisam ser vacinados. Alguns até por causa da idade”, enfatizou ao defender que os servidores sejam incluídos no cronograma de vacinação. 

Vereador destaca empenho para o combate à Covid-19 na região

O vereador Alexandre Maduro (MDB) destacou em seu pronunciamento, na sessão remota desta quarta-feira (27), o empenho das autoridades e profissionais para combater a pandemia da Covid-19 no Oeste do Pará. Ele ressaltou a presença constante do governador para acompanhar as ações na região.

Alexandre Maduro também enfatizou o esforço da empresa Oeste Gás para garantir o fornecimento de oxigênio para Santarém e demais municípios do Oeste do Pará. “As equipes estão se revezando dia e noite para garantir a produção necessária para atender todas as cidades. Uma empresa santarena empenhada em evitar o colapso na saúde dos municípios”, complementou.

Por fim, Maduro criticou a falta de resposta da Secretaria Municipal de Saúde para seu pedido de informações sobre o Programa de Vacinação contra a Covid-19 em Santarém. “Doze dias depois de ter feito o pedido, ainda não recebi nenhuma posição da Semsa”, finalizou.

Projeto de Lei prevê multa para quem não usar máscara como prevenção à Covid-19

A vereadora Adriana Almeida (PV) usou a tribuna para falar sobre o Projeto de Lei que propõe multar quem não use máscara de proteção contra o coronavírus, em Santarém.

A parlamentar acrescentou que os valores arrecadados com as multas deverão ser convertidos na compra de cestas básicas, tendo em vista a necessidade de trabalho na assistência social neste período da pandemia, o que estaria a preocupando bastante.

Adriana citou que a proposta já estaria dando certo em outros estados, e a questão das cestas básicas teria a ver com o momento em que muitas pessoas estão desempregadas e famílias padecem por falta de alimento.

A parlamentar também se referiu a uma demanda levantada pelo vereador JK do Povão (PSDB) sobre a falta de insumos de odontologia em uma Unidade Básica de Saúde. “Estamos em processo de licitação para compressor odontológico, destiladores de água e autoclave”, explicou a vereadora do PV, acrescentando que teria sido encaminhada pela primeira vez em setembro uma licitação, mas não teria ocorrido procura de empresas interessadas no fornecimento. Segundo ela, há recurso destinado a isso. “Estou acompanhando de perto para que a gente consiga o mais rápido possível”, finaliza.

Município alcança 40% de profissionais da saúde imunizados; dados vêm da Divisa

Nesta terceira sessão deliberativa remota da Câmara de Santarém, a vereadora Enfermeira Alba Leal (MDB) informou que visitou nesta quarta-feira (27/01) o setor epidemiológico da Divisão de Vigilância Sanitária (Divisa), para acompanhar de perto como está sendo feita a distribuição das doses da vacina contra a Covid-19, no município de Santarém.

“Inicialmente, o município recebeu 6.474 doses de vacinas CoronaVac. Desse total, foram disponibilizadas 3.838 doses para os indígenas da Secretaria Especial de Saúde Indígena. Para os profissionais da saúde que atuam na linha de frente da pandemia e idosos foram disponibilizadas 2.636 doses. Segundo a coordenadora do setor Epidemiológico Maria Lida, 40% dos profissionais da saúde já foram vacinados e o mais breve teremos a cobertura de 100%”, destacou.

Ainda na sessão, a vereadora falou que tem recebido muitas denúncias de que o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA) teria leitos disponíveis para atender pacientes acometidos pela Covid-19.

“Falei com o diretor do HRBA Herbert Moreschi, que informou que todos os 62 leitos exclusivos para tratamento da doença estão ocupados, sendo 44 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto e 18 leitos clínicos. Segundo ele, quando há altas ou óbito o leito é liberado imediatamente para regulação. O tempo é somente de preparo para chegada do paciente. Tem ainda disponíveis 04 leitos de UTI pediátrico e 03 UTI neonatal porém a procura é baixa”, explicou.

A vereadora encerrou seu pronunciamento agradecendo o diretor do HRBA Herbert Moreschi pelas informações e disponibilidade.

Com informações da Câmara de Vereadores

Deixe uma resposta