Evento esportivo autorizado pela Semsa provoca aglomeração em Alter do Chão

Um desrespeito às 836 vítimas da Covid-19 em Santarém, no Oeste do Pará. Assim está sendo definido pela maioria das pessoas nas redes sociais, o evento esportivo promovido neste domingo (4), em Alter do Chão, e liberado pela Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), via Divisão de Vigilância Sanitária.

Fotos e vídeos compartilhados nas redes sociais mostram que a maioria das pessoas não usa máscara e há aglomerações. Foto: Reprodução

Nas redes sociais, os internautas criticam a realização e autorização do evento, sobretudo diante do aumento exponencial de novos casos da Covid no município, que no último boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura chegou a 16.742 casos confirmados.

Março bateu recorde de mortos pelo novo coronavírus em 2021.

A 2ª edição do Desafio Zéfiro foi realizado neste domingo em Alter do Chão e reuniu centenas de competidores, além de um grande público que foi acompanhar a movimentação esportiva nas ruas da vila.

Pelos vídeos e fotos compartilhados nas redes sociais, muitas pessoas, sobretudo crianças e idosos, aparecem sem máscaras.

Ao contrário do que alegaram os organizadores do evento, não houve distanciamento social e nem participação individual dos atletas nas provas, já que todos aparecem muito pertos um dos outros.  

A realização do evento foi autorizada no dia 10 de março pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), por meio da Divisão Especializada em Vigilância Sanitária.

A autorização foi assinada pelo chefe da pasta, Marcelino Fortunato.

A competição reuniu atletas nas disputas de corrida, ciclismo e natação. Os atletas não usavam máscaras.

Matéria atualizada às 20h11 para inclusão da nota divulgada pela Prefeitura:

A Vigilância Sanitária informa que será instaurado procedimento para apurar as possíveis violações aos protocolos de biossegurança do evento de competição de esporte individual denominado 2º Desafio Zéfiro, realizado hoje, 4, em Alter do Chão.

O evento deveria seguir exigências de biossegurança e sanitárias às quais os organizadores se comprometeram a cumprir. Diante dos fatos ocorridos, a Vigilância Sanitária está analisando as imagens de alguns pontos da competição que podem ter ferido o cumprimento dos protocolos. Os organizadores do evento também serão chamados para prestar esclarecimentos sobre o ocorrido e podem ser penalizados caso tenham descumprido os protocolos de segurança.

Vigilância Sanitária/PMS

Deixe uma resposta