Documentário mostra que Adélio era do PSD e que passou a atacar Bolsonaro depois de encontro com Carlos em clube de tiro

O jornalista investigativo Joaquim de Carvalho prova, no documentário “Bolsonaro e Adélio – uma facada no coração do Brasil“, que Adélio Bispo de Oliveira foi filiado ao PSD, desmontando a versão do clã Bolsonaro de que ele seria um “militante do PSOL”.

“O caso da fakeada precisa ser reaberto a partir de uma perícia médica em Jair Bolsonaro”, diz Joaquim de Carvalho. Foto: Reprodução

Mais ainda: no filme, demonstra-se como Adélio mudou radicalmente de posição política depois de estar com Carlos Bolsonaro no Clube e Escola de Tiro .38, em São José, na Grande Florianópolis (SC) em julho de 2018, dois meses antes da fakeada em 6 de setembro, em Juiz de Fora. Adélio sempre foi um defensor das ideias de direita antes do encontro no clube de tiro, quando passa a atacar Bolsonaro sistematicamente, como que “vestindo o figurino” de um militante de esquerda.

Essas e outras revelações estão no documentário “Bolsonaro e Adélio – uma facada no coração do Brasil”, criado e realizado pelo jornalista Joaquim de Carvalho, pelo cineasta Max Alvim e pelo cinegrafista Eric Monteiro, com produção da TV 247 e financiamento coletivo de seus assinantes e apoiadores. O filme, com uma hora e 44 minutos de duração, revela os furos da versão oficial sobre o episódio ocorrido em Juiz de Fora (MG) durante a campanha eleitoral.

O documentário foi lançado no Youtube na noite do sábado (11), chegou a ter 15 mil espectadores simultâneos e no final da tarde de domingo já contabilizava mais de 200 mil visualizações.

Assista ao documentário aqui:

Fonte: Brasil 247

Deixe uma resposta