Educomunicação: Projeto que alia inclusão digital e ferramentas de comunicação para comunidades entra em nova fase

Sempre levando informação e capacitação a comunidades quilombolas da Amazônia, o projeto Educomunicação da Ecam Projetos Sociais entra em nova fase. Marcando esse novo momento, a instituição deu início a um novo circuito de atividades, como a oficina de produção de texto e roteiro, criação e edição de vídeos em dispositivo móvel. A oficina, realizada no último mês, contou com a parceria da MALUNGU, e foi destinada a representantes das Comunidades Quilombolas África e Laranjituba, localizadas em Moju, no Pará.

Outro ponto do novo ciclo é a abertura para outros círculos sociais. Com metodologia própria estabelecida de forma sólida e objetiva, é possível replicar o modelo em outras comunidades e organizações, de qualquer região do país.

O projeto Educomunicação sempre teve seus pilares na inclusão digital, hoje uma ferramenta fundamental para acesso à informação e serviços essenciais à cidadania. Além da capacitação técnica, a Ecam Projetos Sociais e parceiros locais implantaram pontos de acesso à internet nas comunidades, muitas delas em regiões isoladas e que não há pontos de operadoras. Em tempos de pandemia, por exemplo, a disponibilidade da conexão possibilitou que estudantes não perdessem aulas e ainda muitos dos serviços públicos passaram a ser oferecidos apenas online.

Oficina de Produção de Texto e Roteiro, Edição de Vídeos em Dispositivo Móvel

Dando maior visibilidade e poder de fala aos indivíduos das comunidades, as oficinas são uma ferramenta para que as comunidades trabalhem com produções de texto, criação e edição de vídeo. Assim, elas podem divulgar as realidades vividas, além da cultura e reivindicações, por meio da produção e distribuição de conteúdos nos meios de comunicação online.

São relatos próprios, sem intermediários. Entre os temas apresentados pelos participantes estavam: festividades, retorno às aulas presenciais, evento sobre direitos das mulheres, além de outros. São tratados no curso, técnicas de produção de textos jornalísticos, técnicas de roteirização, filmagem e edição com dispositivos móveis (celulares, tablets etc).

“As oficinas são muito importantes, ajudam muito no processo de empoderamento das comunidades, ajudam a dar voz e valorizam as questões sociais e culturais das comunidades”, explica Rodrigo Rodrigues, colaborador da Ecam e facilitador nas oficinas.

Já Miziane Azevedo, uma das alunas do curso agradeceu pela oportunidade e disse que todo o aprendizado foi valioso. “O meu sentimento é de gratidão. Eu aprendi algo que eu achei que nunca aprenderia. Agora, pretendo levar esse conhecimento para outras pessoas que ainda não tiveram essa oportunidade”.

Fonte: Ecam Projetos Sociais

Deixe uma resposta