Programa de educação ambiental da MRN ajuda a preservar e utilizar com sabedoria os recursos naturais

A Amazônia é o lar de incontáveis animais e plantas. Em quase 4.000 km² de extensão, ela abriga rica fauna e flora, com espécies encontradas somente nesta região, fazendo a integração de oito estados, incluindo o Pará, e 125 unidades de conservação. Conviver com a natureza faz parte do dia a dia dos moradores de cidades próximas a áreas mais preservadas, como é o caso do Oeste do estado. Por isso, é fundamental o entendimento e a conscientização da importância de se respeitar, preservar e utilizar com sabedoria o que a natureza nos oferece.

Em Terra Santa e Oriximiná, municípios que fazem fronteira com a Floresta Nacional Saracá-Taquera, por exemplo, 27 comunidades participam do Projeto de Educação Ambiental (PEA), executado pela Mineração Rio do Norte. A iniciativa promove ações educativas focadas na conservação ambiental e em como melhorar a qualidade de vida nestas comunidades, com foco em temas relevantes do dia a dia das localidades.

Após passar por um período sem ações devido ao pico da pandemia da Covid-19, o PEA retomou as atividades, respeitando todos os protocolos e cuidados de prevenção à doença, recomendados pelas autoridades de saúde locais. Desde outubro já vêm sendo realizadas palestras sobre dois temas: o “Cuidado com Animais Silvestres” e a “Conservação da Fauna”, bem como a distribuição de materiais impressos, como folders e cartilhas, sobre o tema.

Uma das participantes das rodadas de diálogo foi a moradora da comunidade Bom Jesus, Maria do Socorro, na região do Lago Batata, em Oriximiná. Para ela, tem sido válido a troca de experiência e conhecimentos. “Muitas vezes fazemos coisas erradas por não saber, não tem coisa melhor que esse programa vir até nós, comunitários, e a gente conhecer a realidade ouvindo os palestrantes e se educando”, afirmou.

A primeira rodada de palestras iniciou em outubro, passando pelo território do Médio Trombetas, Alto Trombetas 2 e distrito de Porto Trombetas, e seguiu, em novembro, para as comunidades Urubutinga, Alema e Jauaruna, no município de Terra Santa. Até este mês de dezembro, ocorrem ciclo de palestras sobre conservação da fauna nas comunidades do município de Terra Santa e Oriximiná. A expectativa é de que mais de 300 pessoas participem.

Além das palestras, o PEA utiliza outros recursos didáticos para as ações de sensibilização. “Para abordar o tema sobre a conservação da fauna, por exemplo, é feita a exposição dialogada, em que interagem com os comunitários a partir de diversas perguntas sobre o tema. Com isso, é possível avaliar se o conteúdo está sendo compreendido pelos participantes”, explica Juliana Mello, consultora do PEA. O projeto dedica ainda atenção especial às crianças, trabalhando as atividades por meio de quiz e jogo de memória.

Além disso, o PEA também lançou a cartilha e folders sobre “Cuidados com os Animais Silvestres”. “Nosso objetivo é disseminar a educação ambiental, dialogando e entregando para os comunitários um material de ótima qualidade, bem didático, com linguagem acessível e que sirva sempre de consulta para esclarecer as dúvidas que surgirem”, ressalta Genilda Cunha, analista de Relações Comunitárias da MRN e coordenadora do projeto.

O Projeto de Educação Ambiental é uma iniciativa do Programa de Educação Socioambiental (PES) da MRN, que é executado em atendimento às condicionantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) para o licenciamento ambiental. Para além do seu caráter mitigatório, os projetos do PES têm o intuito de estabelecer relações e laços de proximidade com as comunidades e, por meio de processos dialógicos e coletivos, contribuir para a promoção de melhorias no cotidiano das comunidades. O programa contempla 11 projetos sociais e tem participação ativa das comunidades envolvidas, que discutem e planejam em conjunto com a MRN a execução de cada uma dessas iniciativas a serem desenvolvidas em benefício dos comunitários dos municípios de Oriximiná e Terra Santa, no oeste do Pará.

No Relatório de Sustentabilidade, lançado pela empresa em 2021, o CEO Guido Germani reforça este compromisso. “Quem acompanha a história da MRN percebe facilmente que seu DNA é permeado por uma mineração sustentável e responsável. E é isso que enche a empresa de orgulho e reforça diariamente o seu compromisso com uma sociedade melhor, a começar pela região que tão bem a acolheu no município de Oriximiná, distrito de Porto Trombetas e coração da Amazônia”, afirma o executivo. Todas as informações sobre o PEA, e demais iniciativas que integram o PES, podem ser conferidas no site da Mineração Rio do Norte, em www.mrn.com.br

Fonte: Temple Comunicação

Deixe uma resposta