Sespa orienta sobre características e aplicação das doses pediátricas da vacina contra Covid-19

Com a chegada das primeiras vacinas contra a Covid-19 destinadas a crianças de 5 a 11 anos residentes no Pará e o início da imunização, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) informa à população que as doses para o público infantil não são as mesmas utilizadas na vacinação de adolescentes e adultos.

No Pará, mais de 1 milhão de crianças na faixa etária de 5 a 11 anos estão aptas à vacinação, que reduz casos graves da doença e a necessidade de internação. Foto: Agência Pará

A vacina para a faixa etária de 5 a 11 anos apresenta dosagem, composição e concentração diferenciadas. A tampa do frasco do imunizante ajuda a não confundir o tipo de vacina: laranja para crianças e roxo para adultos, a fim de auxiliar os profissionais de saúde na hora da aplicação e alertar aos pais e responsáveis.

As vacinas contra a Covid-19 para o público infantil estão incluídas no plano de operacionalização do Programa Nacional de Imunizações (PNI). A principal recomendação é que a criança vá aos postos de vacinação mantidos pelas prefeituras acompanhada dos pais ou responsáveis, ou levando autorização por escrito.

O esquema vacinal inclui duas doses, com intervalo de oito semanas entre as aplicações. Os que completarem 12 anos de idade nesse intervalo podem prosseguir com o fluxo de aplicação da segunda dose normalmente.

A dosagem e composição também são distintas das utilizadas nas doses para maiores de 12 anos. A vacina é aplicada no braço das crianças. A seringa a ser utilizada em crianças deve ter 1 ml (de agulha fina) e ser preenchida com apenas 20% do líquido. A recomendação é que os vacinadores mostrem a seringa preenchida aos responsáveis antes da aplicação, para conferência.

O armazenamento nos postos também é diferente. Enquanto a dose em uso no Brasil pode ficar apenas um mês em temperatura de 2ºC a 8ºC, a dose infantil amplia esse prazo para 10 semanas.

Ambiente específico – As secretarias Municipais de Saúde também devem estar atentas a outras recomendações, como aplicar a vacina em crianças em ambiente específico e separado da vacinação de adultos, acolhedor e seguro. Após imunizadas, as crianças devem ficar por pelo menos 20 minutos no local para observação, em caso de eventuais reações.

As Unidades Básicas de Saúde precisam evitar que a vacina contra a Covid-19 seja administrada junto com outras vacinas do calendário infantil. A orientação da Sespa é cumprir um intervalo de 15 dias entre uma aplicação e outra. Não é recomendável, ainda, que a vacinação a crianças seja em postos na modalidade drive thru.

No Pará, 1.021.778 crianças de 5 a 11 anos estão aptas à vacinação contra a Covid-19. Os municípios são os responsáveis pela aplicação das doses. De acordo com a recomendação do Ministério da Saúde, a vacinação infantil deve priorizar grupos com deficiência permanente ou comorbidades, além de crianças que vivam na companhia de pessoas com alto risco de evolução grave da Covid-19. Na medida em que mais doses cheguem ao Pará, as crianças das demais faixas etárias serão imunizadas.

O secretário de Estado de Saúde Pública em exercício, Ariel Sampaio, ressalta a importância da imunização. “O governo do Estado sempre recomendará a vacinação, uma vez que está clara a redução dos casos graves da doença em pessoas imunizadas. Por isso, pedimos que os pais ou responsáveis levem as crianças para serem vacinadas”, acrescenta o gestor.

Fonte: Agência Pará

Deixe uma resposta