MRN investe em tecnologia e inovação na produção da bauxita

A Mineração Rio Norte (MRN) tem inovado na otimização de seus processos com investimentos em aquisição de talentos e novas tecnologias, com esforços significativos feitos no ano passado. Entre as ferramentas de inovação da empresa, estão os ativos Power BI e Checklist, ambos utilizados pelo Sistema de Geologia e Controle de Qualidade desenvolvido em conjunto com o time de Tecnologia da Informação da empresa. Com essas plataformas, a MRN automatizou os sistemas de informações sobre os recursos minerais, o que contribuiu para levar dados, de forma rápida e precisa, aos profissionais. Como resultado, houve mais agilidade e otimização do processo de lavra e no tempo de trabalho.

MRN automatizou os sistemas de informações sobre os recursos minerais, o que contribuiu para levar dados, de forma rápida e precisa, aos profissionais. Foto: Ascom/MRN

“O principal ganho foi o aumento do tempo de interação dos técnicos de turno com as atividades de lavra, em torno de 10% a 20%, o que representa, aproximadamente, entre 60 e 90 minutos a mais de atividade voltada ao controle de qualidade e produtividade. Podemos justificar a diferença de produção ou possíveis mudanças também, o que impacta na qualidade do produto”, destaca Paulo Bezerra, gerente de Planejamento e Controle de Produção da MRN.

Ainda de acordo com Paulo Bezerra, não houve a necessidade de aumento de custos ou outros investimentos, pois foram aproveitadas as ferramentas já existentes, com uma mudança apenas na aplicabilidade o que resultou em uma gestão econômica alinhada à maior produtividade. “Com o melhor aproveitamento desses recursos, otimizamos o tempo para despachar um volume maior de informações com a automação, dessa forma, o fluxo da informação e a busca por ela passou a ser mais rápida e prática”, explica Paulo.

Segundo Felipe Antonialli, geólogo da MRN, a obtenção de dados do campo é feita a partir de um formulário com 40 perguntas, por meio do uso de um tablet com a ferramenta Checklist. Com a coleta de todas as informações, o profissional descarrega na rede os dados no departamento de Geologia e Controle de Qualidade. “A compilação será feita de forma automática via Power BI, um sistema da Microsoft, que em seguida irá gerar os dashboards, e o resultado é disparado via e-mail às áreas. Assim, melhoramos a qualidade das informações geradas para controle de qualidade e para o controle de tempo dos profissionais dentro da mina”, explana.

“Os dados adquiridos pelas ferramentas possibilitam ainda um melhor entendimento da qualidade química e física nos processos de beneficiamento da bauxita com base nos campos de geologia, tais como: tipo de contaminante, estruturas e texturas presentes no minério, como por exemplo, no aumento ou diminuição de finos/granulados em relação ao planejado, ou para entender qual processo precisa de mais atenção, entre outros”, complementa Felipe.

Metodologia inovadora

Com as ferramentas é possível fornecer visualizações interativas e recursos de business intelligence com uma interface simples para que os empregados tenham acesso aos relatórios e aos infográficos. “Conseguimos garantir uma comunicação e repasse de referências de forma mais ágil e eficiente às equipes internas, o que torna as informações mais homogêneas, o que serve de subsídio para auxiliar nas justificativas e tomadas de decisão”, destaca Felipe.

“Com a troca de trabalho em turno, a comunicação precisa ser efetiva para tornar os processos otimizados e assertivos, e as ferramentas compilam as informações, deixando-as alocadas em um único ponto de busca. Além disso, a tecnologia permite a criação de um banco de dados mais robusto e seguro, possibilitando a obtenção de insights mais aprofundados sobre os recursos da indústria”, pontua Felipe.

A MRN tem priorizado estratégias voltadas à estruturação dos dados por meio de um arcabouço tecnológico implementado pela TI e ferramentas como Power BI, que tem sido usado na maioria das áreas, promovem uma atuação distribuída na construção dos dashboards de monitoramento e executivo. A empresa já possui uma maturidade neste desenvolvimento em diversas áreas tais como Planejamento de Lavra, Geologia, Controle de Qualidade, Planejamento de Mina, Planejamento e Controle de Produção, Operação de Mina, Implantação e áreas do administrativo.

A ferramenta integra as informações dentro dos processos e mune de dados tratados os profissionais de cada área. “Somos responsáveis pelo planejamento e controle de toda cadeia de produção da MRN. Futuramente, a ideia é trabalhar os dados coletados em campo com os dados realizados de produção e, com isso, melhorar nossa previsibilidade. Assim, criaremos mais subsídios com informações para as partes interessadas, gerando uma comunicação mais efetiva, baseada em dados mais precisos, investindo ainda mais em inovação e tecnologia”, ressalta.

Fonte: MRN

Deixe uma resposta