Velório de Marília Mendonça será no Ginásio Goiânia Arena

O corpo da cantora Marília Mendonça será velado no ginásio Goiânia Arena, em Goiânia. A informação foi publicada pelo governador do Estado, Ronaldo Caiado. Segundo ele, a previsão é que comece por volta de 8 horas. A cantora morreu nesta sexta-feira (5) após a queda de um avião em Minas Gerais.

Velório do corpo da cantora será em Goiânia na Arena Ginásio, a partir das 8 horas

De acordo com a secretaria, um torneio de basquete que ocorreria no ginásio foi cancelado e, agora, estão preparando o espaço para que a cerimônia seja realizada. Caiado disse ainda que a previsão é que passem cerca de 100 mil pessoas no local.

Após a confirmação da morte, o governador de Goiás Ronaldo Caiado (Dem) fez um post nas redes sociais lamentando a partida da “rainha da sofrência” e decretou luto oficial de três dias por causa da morte de Marília Mendonça. No post, Caiado autorizou que o velório seja no ginásio Goiânia Arena, “se este for o desejo da família” da artista.

“Um dia de muita tristeza para a música sertaneja. Foi com imenso pesar que eu e @gracinhacaiado recebemos a notícia da morte da cantora goiana Marília Mendonça e tripulantes após um acidente de avião, em Piedade de Caratinga, interior de Minas Gerais”, escreveu o governador.

Marília publicou um vídeo em suas redes sociais embarcando em um avião cerca de duas horas antes da informação da queda da aeronave que a matou. A assessoria de imprensa da cantora informou que a cantora, um produtor, um assessor, o piloto e o copiloto morreram no acidente.

Avião atingiu cabo de força

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) divulgou nota nesta sexta-feira (5) dizendo que o avião bimotor que transportava a cantora Marília Mendonça e outras quatro pessoas atingiu um cabo de uma torre de distribuição da empresa, em Caratinga, no Vale do Rio Doce.

A Aeronáutica apura diversas hipóteses para o acidente aéreo que matou a cantora Marília Mendonça, de 26 anos, na serra de Caratinga, interior de Minas Gerais.

O avião, um bimotor King Air da Beech Aircraft, fabricado em 1984, decolou de Goiânia e caiu em uma cachoeira a 2 quilômetros da pista onde faria o pouso, segundo informou a Polícia Militar mineira. A aeronave tinha capacidade para 4,7 mil quilos e podia levar até 6 passageiros.

Uma testemunha relatou às autoridades que, após colidir contra os fios, o avião teria perdido um motor. A aeronave tinha dois motores mas, segundo essa testemunha, que também é piloto, a aeronave teria perdido sustentação com a colisão (estolado).

Para confirmar essa ou outros fatores que podem ter contribuído para o acidente, a FAB irá fazer uma perícia nos destroços do avião, ouvir testemunhas das pistas de pouso de onde o avião decolou e do destino, recuperar documentos, dados de inspeções técnicas, de manutenção do avião, além de ver a qualidade do combustível usado na operação.

Em nota, a Aeronáutica informou que “investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA 3), localizado no Rio de Janeiro (RJ), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA)” foram deslocados para o local da tragédia para apurar o acidente.

“Na ação inicial, os investigadores identificam indícios, fotografam cenas, retiram partes da aeronave para análise, ouvem relatos de testemunhas, reúnem documentos, etc. Não existe um tempo previsto para essa atividade ocorrer, dependendo sempre da complexidade da ocorrência”, afirmou a FAB.

“O objetivo das investigações realizadas pelo Cenipa é prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram. A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os fatores contribuintes”, disse a Aeronáutica.

Conforme a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o avião de Marília Mendonça estava com a documentação em dia e tinha autorização para fazer táxi aéreo.

Morte trágica

O avião que transportava a cantora caiu em uma cachoeira na serra de Caratinga, no interior de Minas Gerais

A cantora Marília Mendonça, de 26 anos, e mais quatro pessoas morreram na tarde desta sexta-feira (5) após a queda de um avião de pequeno porte perto de uma cachoeira na serra de Caratinga, interior de Minas Gerais

As músicas de Marília Mendonça arrebataram o Brasil com letras e melodias intensas e românticas. Considerada uma das artistas mais populares do sertanejo, ela liderou uma reviravolta feminina no gênero, que impôs mulheres como protagonistas do estilo até então dominado quase apenas por homens, a partir de 2016, no chamado “feminejo”.

As informações são do G1

Deixe uma resposta