Juruti reforça estrutura de hemodiálise aos pacientes com Covid-19

Em mais um esforço de combate à pandemia do novo coronavírus, a Alcoa, por meio da Alcoa Foundation e Instituto Alcoa, destinou o equivalente a R$ 900 mil para a contratação de profissionais, aquisição de insumos e equipamentos ao setor de hemodiálise do Hospital 9 de Abril, administrado pela Associação Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus. Esta é uma medida importante que garante atendimento ininterrupto aos pacientes dialíticos, que segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), apresentam risco adicional de sofrer complicações por conta da Covid-19.

Um levantamento da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) apontou que a mortalidade pelo coronavírus é cerca de 40 vezes maior em pacientes que realizam esse tipo de procedimento, se comparado à população em geral. No atual cenário de pandemia, algumas recomendações fundamentais de prevenção, como o distanciamento social, não podem ser integralmente aplicadas para quem faz hemodiálise, pois este grupo não tem como ficar em casa, tendo em vista que as sessões são fundamentais para a sobrevivência.

“Uma das principais complicações que a Covid-19 traz é a insuficiência renal. A hemodiálise acaba sendo uma complementação do tratamento. Cerca de 40 a 50% dos pacientes de UTI que evoluem para um quadro grave tem como complicações a insuficiência renal”, ressalta a diretora técnica do Hospital 9 de Abril, dra. Evely Silva.

O enfermeiro Valdir Neto, responsável pela ala Covid-19 no Hospital 9 de Abril, explica que quando se fala em hemodiálise necessariamente há um importante investimento na luta contra a pandemia.

“É necessário que a gente entenda que esse procedimento é realizado dentro uma Unidade de Terapia Intensiva e os pacientes acometidos pela Covid-19 apresentam, em alguns casos, alterações renais e uma delas é a Insuficiência Renal. Quando o paciente apresenta este quadro é necessário que ele realize a hemodiálise. O tratamento é realizado integralmente em Juruti, antes o paciente precisava ser transferido para outra cidade, informa.

Ainda segundo Valdir Neto, atualmente o Hospital conseguiu ampliar o leque de regulação de pacientes do Estado. “Nós atendemos hoje pacientes de outras cidades vizinhas à Juruti: Faro, Terra Santa, Óbidos, Oriximiná, Monte Alegre e Alenquer e isso foi devido ao serviço de hemodiálise ofertado pela nossa unidade”, pondera.

Desde o início da pandemia, a Alcoa investiu R$ 4,3 milhões, em um esforço conjunto com o Instituto Alcoa e a Alcoa Foundation, para dar suporte nas ações de prevenção e combate ao novo coronavírus em Juruti.

Fonte: Alcoa

Deixe uma resposta