Médica morre de covid ao usar a mesma máscara por semanas

Adeline Fagan, uma residente médica de 28 anos desenvolveu um caso debilitante de covid-19 em Houston (EUA) e acabou morrendo por complicações da doença, de acordo com o site de arrecadação de fundos GoFundMe. Por trás do contágio, equipamentos de proteção inadequados e reutilizados.

A médica testou positivo para o vírus no início de julho e morreu no dia 19 de setembro, após passar mais de dois meses no hospital. Ela havia trabalhado em um departamento de emergência de Houston e um membro da família denunciou que ela reutilizou equipamentos de proteção individual (EPI) dia após dia devido à escassez.

Fagan é um dos mais de 250 médicos que morreram nos estados do sul e oeste dos Estados Unidos quando o vírus se espalhou lá durante o verão, de acordo com reportagem do Guardian and Kaiser Health News como parte do Lost on the Frontline, um projeto para rastrear todos os serviços de saúde dos EUA com morte de trabalhadores. No Texas, nove mortes de médicos aconteceram em abril e o número subiu para 33 em julho, depois que o governador Greg Abbott pressionou apressadamente para reabrir as atividades econômicas.

Entre os trabalhadores de saúde falecidos que até agora foram detalhados pela equipe de Lost on the Frontline, cerca de uma dúzia em todo o país, incluindo Fagan, tinham menos de 30 anos. A idade média de morte de Covid para a equipe médica é 57, em comparação para 78 na população em geral. Cerca de um terço das mortes envolveram equipamentos de proteção, como máscaras, inadequados. A escassez de equipamentos de proteção é devastadora para os profissionais de saúde, porque eles têm pelo menos três vezes mais probabilidade de se infectar do que a população em geral.

Máscara usada

Ela era a segunda de quatro irmãs, todas buscando ou considerando uma carreira na área médica. A irmã mais nova, Maureen, 23, relata que, em meio à escassez nacional de equipamentos, a irmã enfrentou um desafio particular. “Adeline usou o mesmo N95 (máscara) por semanas e semanas, senão meses e meses.”

Não está claro como Fagan contraiu o coronavírus, mas para Maureen pode estar relacionado à sua rotina em julho no pronto-socorro. O HCA West faz parte do HCA Healthcare – a maior rede de hospitais do país – e nos últimos meses um sindicato nacional de enfermeiras se queixou de sua “violação intencional” dos protocolos de segurança no local de trabalho, incluindo impor a trabalhadores infectados continuar trabalhando.

O CDC recomenda que uma máscara N95 seja reutilizada no máximo cinco vezes, a menos que um fabricante diga o contrário. O HCA West disse que não comentaria especificamente as alegações de Maureen, mas a médica-chefe da instalação, Dra. Emily Sedgwick, disse que as políticas do hospital não envolvem a reutilização constante de máscaras.

Fonte: O Liberal

Deixe uma resposta