FURA FILA: Pará já registrou 25 denúncias de fraudes na vacinação

Pelo menos 25 denúncias de irregularidades relacionadas à vacinação contra o coronavírus já foram registradas no Pará, por meio da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), até a quinta-feira (21). Os principais municipais relatados são: Belém, Marituba, Ananindeua, Augusto Corrêa, Cametá, Bragança, Castanhal.

Todas as denúncias recebidas pela Segup estão sendo apuradas. Foto: Agência Pará

A ocorrência mais frequente a desobediência ao calendário vacinal, são de pessoas que não pertencem ao grupo prioritário, e que receberam a vacina. Além dessas denúncias, há ainda relatos envolvendo profissionais que atuam na área médica, mas não estão de fato na linha de frente no enfrentamento da Covid-19, mas já foram imunizados.

Todas as denúncias recebidas pela Segup estão sendo apuradas. No Pará, a vacinação iniciou na manhã da última terça-feira (19), com a disponibilização de 173.240 doses enviadas pelo Ministério da Saúde.

Os órgãos de segurança trabalham na apuração das denúncias para que atitudes como essas não se repitam, mas havendo o registro do fato ou suspeitas de irregularidades, todos podem contribuir com o sistema de segurança pública, denunciando e colaborando para que quem mais precise ser imunizado não fique desassistido.

“As primeiras doses da vacina CoronaVac chegaram até o Estado, a integração entre os órgãos possibilitou a entrega em todas as cidades em menos de 24 horas. Nós precisamos que toda a população compreenda a necessidade de respeitar cada fase da imunização. Foi um protocolo tecnicamente elaborado e que precisa ser obedecido. O fato de se antecipar antes da fase estipulada é um grande equivoco que pode deixar quem mais precisa, sem a vacina”, destacou o titular da Segup, Ualame Machado.

O gestor acrescenta, ainda, que a população esteja atenta a possíveis golpes que podem vir a surgir com a oferta de imunizantes. “Qualquer denúncia que chegue à Segup será averiguada, sejam relatos apontando furtos, estelionato, peculato, apropriação indébita ou outros tipos de crimes. Todos estes possuem pena que variam de quatro a cinco anos, podendo o período ser até maior”, disse.

Canais – Os principais meios de denúncias são: por meio da atendente virtual Iara (Inteligência Artificial Rápida e Anônima) no whatsapp (91) 98115-9181 que possibilita o envio de fotos, vídeos, áudios e localização, as chamadas convencionais via 181, e ainda pelo formulário e chatbot disponíveis no site da Segup. Todos os canais garantem o sigilo e o anonimato total do denunciante.

Fases da vacinação:

1ª Fase: trabalhadores de saúde; pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência e indígenas aldeados.

2ª Fase: profissionais da segurança pública na ativa; idosos a partir de 60 anos de idade; e povos e comunidades tradicionais quilombolas.

3ª Fase: indivíduos que possuam comorbidades (doenças como diabetes, hipertensão e obesidade);

4ª Fase: trabalhadores da educação; Forças Armadas; funcionários do sistema penitenciário; população privada de liberdade e pessoas com deficiência permanente severa.

Deixe uma resposta