Desmatamento na Amazônia Legal em maio é o segundo maior em seis anos

Segundo dados do Deter do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o mês de maio totalizou 900 km² de área sob alerta de desmatamento na Amazônia Legal. O número é o segundo maior em seis anos, ficando atrás apenas de maio de 2021 que totalizou 1.391 km² de desmate.

Mesmo com os números de maio ficando atrás da soma dos alertas de 2021, o compilado dos cinco meses de 2022 já é cerca de 8% maior do que o ano anterior.

No bioma Cerrado os dados também estão em alta. Durante o mês de maio, foram 725,74 km² sob alerta de desmatamento. Os cinco primeiros meses de 2022 totalizam 2.613,39 km² de áreas desmatadas, um aumento de 28% comparado ao mesmo período de 2021 que somou 2.033,39 km².

“O governo precisa, de forma urgente, retomar o PPCDAm (Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal) e também redesenhar um plano para combater o desmatamento do Cerrado para conseguir articular ações de forma integrada com todos os ministérios e governos estaduais para reduzir o desmatamento e cumprir com as metas com as quais se comprometeu”, afirma Mauro Armelin, diretor executivo da Amigos da Terra – Amazônia Brasileira.

Mauro lembra ainda que os mercados internacionais estão se fechando para produtores e países que não comprovem que suas cadeias produtivas estejam livres de desmatamento ilegal. “Os produtos agrícolas brasileiros sofrerão restrições severas no mundo, pois os países compradores já não aceitam mais importar desmatamento”, diz.

Geografia do Desmatamento

Entre os estados que mais desmataram, o primeiro lugar ficou com o Amazonas com 298 km² de alertas de desmate. O estado do Pará, que costuma ser líder em desmatamento, ficou em segundo lugar com 272 km² de alertas. Rondônia registrou 149 km², dois quilômetros maior do que Mato Grosso, que registrou 147 km², mas que possui um território quase quatro vezes maior do que o rondoniense.

O estado do Acre registrou 28 km² de alertas, Maranhão, 5 km²; Roraima e o Tocantins, 1 km² cada. O Amapá não registrou áreas sob alerta de desmatamento.

Além do desmatamento, o mês de maio bateu recorde de queimadas, foram 2.287 focos de incêndios florestais, o maior índice para o mês de maio desde 2004, quando foram registrados 3.131 incêndios florestais. O número de fontes de calor foi 96% superior ao do mesmo período do ano passado que teve 1.166 focos.

Por: Nicole Matos
Fonte: Amazônia.org.br

Deixe uma resposta